Este é o dilema de muitos pacientes na hora de comprar calçados e, por isso, também são queixas frequentes no consultório ortopédico. Embora diversos textos já tenha sido publicados a esse respeito, a dúvida persiste.

Nesse sentido, o objetivo deste texto é servir como guia no momento da compra dos sapatos.  Para tanto, será dividido em  três  partes: 1) O calçado, 2) Queixas mais frequentes e 3) Existe um sapato ideal?

O Calçado

São diversas opções tanto para os homens quanto para as mulheres, mas alguns componentes são comuns e conhecê-los nos ajuda a fazer a melhor compra:

  1. Contraforte – parte posterior que apoia no calcanhar, tem rigidez variável. Ausente em algumas sandálias e nos chinelos.
  2. Biqueira– é a parte da frente do sapato
  3. Palmilha – é a parte interna do calçado, deve ser macia para ajudar a absorver impacto e dar conforto no calçar.
  4. Solado – dá proteção ao pé. Pode ser mais ou menos flexível (ser mais rígida não significa um sapato “duro”, uma vez que a palmilha é quem deve dar essa característica)
  5. Salto – muito variável, em especial nos calçados femininos.

Bolhas, calos e dor. Qual sapato eu compro?

Queixas e dúvidas mais frequentes

Bolhas

Talvez a queixa mais frequente. São causadas por atrito entre o sapato e a pele. Ocorrem principalmente nas seguintes regiões:

  • Calcanhar – quando o acabamento do contraforte é muito rígido e pouco protegido.
  • Próximo ao “dedão” – o formato do pé não é compatível com a forma do sapato seja pela largura do pé, seja pela presença de deformidades como o joanete (link texto joanete) .
  • Próximo ao “mindinho” – geralmente quando em sapatos menores que o tamanho ideal
  • Perto das unhas dos dedos – nos casos de deformidade dos dedos.

Como tratar as bolhas

Evitar o atrito com o uso de calçados mais largos e de acabamento macio. O conceito de “amaciar” é controverso: um sapato deve ser confortável desde o primeiro uso! Mas… Se já tiver formado bolhas, mantenha curativos leves. Procurar um médico quando existirem sinais de inflamação intensa ou infecção (pus ou outras secreções de odor desagradável).

Calos

Os calos também podem ser causados por atrito, trata-se de uma proteção da pele contra lesões repetidas. Uma bolha, a longo prazo, pode se tornar um calo. Em alguns casos os calos não são consequência do calçado e sim de fatores anatômicos do pé. Nesses casos, a avaliação de um ortopedista é importante.

Como tratar os calos

Em geral os calos dolorosos são causados pelas alterações anatômicas e nesses casos é importante avaliar radiográfica e clinicamente para indicar um tratamento individualizado ao paciente.

Dor na planta do pé

dor-pe

Pode ocorrer ao caminhar ou após permanecer  em pé por longos períodos. Geralmente está relacionada a palmilhas pouco macias (Atenção! A palmilha não tem relação com a flexibilidade do solado. Um sapato ideal tem solado rígido e palmilha macia, ou seja:  mais proteção e conforto total).

tratar-dor-pe

Como tratar dor na planta do pé

Procurar sapatos com palmilhas macias. Aquela sensação de estar pisando em um gel é o que procuramos aqui. Ainda é possível trocar as palmilhas originais por outras mais macias, desde que não tornem o sapato “apertado”, ou seja: o pé não pode atritar com a parte superior do sapato. Algumas dores plantares são causadas por inflamações em tecidos internos do pé como a fáscia plantar e tendinopatias. Nesses casos, apenas a palmilha não será o suficiente e um especialista deve ser consultado.

Existe um calçado ideal?

Sim!

O calçado ideal é aquele que desde o primeiro momento protege e não atrita com o pé: não se deve esperar o sapato “amaciar”.

Cada pé tem uma necessidade específica e infelizmente algumas formas dos calçados não atendem a todos. Aquele “sapato lindo da vitrine” talvez não seja adequado.