Evaristo Costa vai ao Instituto de Ortopedia e Traumatologia do Hospital das Clínicas de São Paulo para saber qual o impacto do carnaval sobre os pés, coluna e membros superiores.

O cirurgião de coluna Alexandre Fogaça Cristante diz que após o carnaval aumenta a procura por ortopedia nos prontos-atendimentos. 80% das pessoas terão pelo menos uma vez na vida, dores na coluna.

O ideal é que ninguém carregue mais do que 10% do peso do próprio corpo em fantasias.

Doutores do Instituto descobriram que 82% dos passistas entrevistados têm dor nos pés. 92% têm calos ou bolhas. 37% dos entrevistados têm cansaço e dores nas mãos.

Essa é uma pesquisa preliminar, mas com esses dados, os médicos do Hospital das Clínicas, em parceria com os sambistas podem desenvolver acessórios para diminuir essas dores.